Skip to content

Peixe Panga Venenoso

11 de março de 2013

Esse texto também tem mais ou menos um ano, mas vira e mexe volta a aparecer na nossa caixa de e-mail / facebook:

<< REPASSANDO COM URGÊNCIA – FATO COMPROVADO – REPASSEM PARA TODOS OS SEUS CONTATOS… Ecaaaaaaaaaaa vamos passar por longe desse peixe!!! Ou melhor, de qualquer peixe industrializado. Vamos parar de comer peixe em restaurantes, assim haverá reação também dos comerciantes contra este crime. Peixe agora, só comprado na peixaria e limpo na nossa frente. Denunciem, se souberem os nomes desses FDP irresponsáveis do governo e das importadoras que deixam entrar este lixo no Brasil. Isso me faz lembrar a carne contaminada por radiação e os laticínios importados da Europa, também contaminados pela radiação de Chernobyl – ÉPOCA DO GOVERNO SARNEY. As perguntas são: 1>Quantas crianças, homens e mulheres, hoje estão morrendo de câncer devido à irresponsabilidade desses canalhas gananciosos e corruptos? 2>Vcs não acham q deveria ter pena de morte para esse tipo de crime? Depois de importar lixo hospitalar dos EEUU: lençóis usados por veteranos de guerra no EUA viram roupa de cama em hotel de PE-… Outra barbaridade com o povo brasileiro… Os nossos Supermecados, estão importando, da Ásia, graças à globalização. É caso de polícia… Leiam e tirem suas conclusões!!!! ESTÁ À VENDA, NA REDE BOM PREÇO, G.BARBOSA, HIPER IDEAL, EXTRA, SUPERMERCADOS GUANABARA… Caros amigos, Em algumas oportunidades tive o desprazer de observar o malfadado peixe branco, sempre servido em self-services e/ou “à la carte.” (Entre os restaurantes onde pode ser encontrado, o cliente faminto terá mais opção do que se pensa em self-services) Em um self-service, tive a curiosidade de ver melhor o peixe no meu prato. Ao abrir a posta do peixe, notei que a massa estava impregnada de filamentos.,Encostei o prato, retirei para o guardanapo, parte do peixe e levei para análise. Os filamentos, na verdade, eram vermes de até dois cm. PANGA ou PEIXE-GATO Procurei me informar, lá mesmo no caixa, sobre a origem do peixe e fui informado que se tratava de peixe asiático. Após análise da porção amostrada, tirei minhas conclusões que são coincidentes com as informações prestadas: – peixe asiático de água doce, proveniente de rios extremamente poluídos de excrementos, dejetos e toda sorte de poluição biológica, física e química devido, entre fatores diversos, à maciça ocupação de barcos que servem de vias e moradias que constituem aglomerados populacionais de pessoas carentes de serviços sanitários e salutares. Esse ambiente condiciona, por si só, o desenvolvimento e procriação de víveres adaptados a esse habitat degenerativo. O nível de poluição dessas águas é de tamanha magnitude e as próprias pessoas que, por lá vivem, têm nojo e repugnância dos víveres dessa água. Essas condições associadas viabilizam a proliferação exacerbada de peixes que ressalta aos olhos dos especuladores inescrupulosos que conseguem com tremenda facilidade realizar farta e rentável “pescaria” para a venda dos seus produtos no terceiro mundo afora – de quebra no Brasil…

ASAE – SOCIEDADE AMERICANA DE ENGENHEIROS AGRÔNOMOS Peixe Panga – PERIGO para a SAÚDE PÚBLICA Há pouco tempo descobri um novo peixe, aparentemente perfeito: filetes muito branquinhos, frescos ou congelados, sem espinhas e a bom preço no supermercado… claro que decidi experimentar… A minha primeira impressão do sabor do peixe não foi a melhor (embora fosse a única a encontrar algo estranho, pois é um sabor muito tênue…) Hoje voltei a comer, e tal como da primeira vez que provei este peixe, não melhorou a impressão do sabor…Acabei de almoçar e pesquisei e encontrei o texto que envio abaixo. NOTA – achei por bem enviar, porque muitos de vocês já terão provado e gostado… LO Peixe Panga: a nova aberração da globalização O Panga é um peixe de cultura intensiva/industrial no Vietnam, mais exatamente no delta do rio Mekong e está a invadir o mercado devido ao seu preço. Eis o que deve saber sobre o Panga: Os Pangas estão infestados com elevados níveis de venenos e bactérias. (arsênio dos efluentes industriais e tóxicos e perigosos subprodutos do crescente setor industrial, metais pesados, bifenilos policlorados (PCB), o DDT e seus (DDTs), clorato, compostos relacionados (CHLs), hexaclorocicloexano isómeros (HCHs), e hexaclorobenzeno (HCB)). O rio Mekong é um dos rios mais poluídos do planeta. (Na guerra do Vietnã o último recurso americano foi jogar o “agente laranja”(desfolhante e cancerígeno). Não há nada de natural nos Pangas – Eles são alimentados com restos de peixes mortos, ossos e de solo seco, transformados numa farinha, com mandioca e resíduos de soja e grãos. Obviamente, este tipo de alimentação não tem nada a ver com a alimentação num ambiente natural. Ela não faz do que assemelhar-se ao método de alimentação das vacas loucas (vacas que foram alimentadas com vacas, lembra-se?) A alimentação dos Pangas está completamente desregulada.. O Panga cresce 4 vezes mais rápido do que na natureza … Além disso os Pangas são injetados com PEE (alguns cientistas descobriram que se injetassem as fêmeas Pangas com hormônios femininos derivados de desidratado de urina de mulheres grávidas, a fêmea Panga produziria os seus ovos muito rapidamente e em grande quantidade, o que não aconteceria no ambiente natural (uma Panga passa a produzir assim aproximadamente 500.000 ovos de uma vez). Basicamente, são peixes com hormônios injetáveis (produzidos por uma empresa farmacêutica na China) para acelerar o processo de crescimento e reprodução. Isso não pode ser bom. Ao comprar Pangas estamos colaborando com empresas gigantes sem escrúpulos e gananciosas que não se preocupam com a saúde e o bem-estar dos seres humanos. Este comércio está sendo aceito por países que os vendem ao público em geral, sabendo que estão vendendo produtos contaminadas. Nota: devido à prodigiosa quantidade de disponibilidade de Pangas, este irá acabar em outros alimentos: surimi (alimentos com pasta de peixe), peixe terrines e, provavelmente, em alguns alimentos para animais. (cães e gatos!) Diz-se que comer peixe é bom para a saúde, mas eu já começo a duvidar de tudo!!!! >>

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Nossa, por onde começar? Esse texto é tão mal-escrito (pontuação, ortografia, gramática, digitação, coesão, coerência e estilo estão sofríveis) que eu fico tentado a corrigir tudo, mas prometo que vou focar no conteúdo mesmo, que é o intuito desse blog. Também não vou entrar no mérito de discutir as afirmações do início sobre carne e laticínios radioativos de Chernobyl nem o lixo hospitalar dos EUA, senão esse post ficará muito longo e vago. Aliás, dessa primeira parte toda, só vou me indignar com o apelo do autor para que todos parem de comer todo tipo de peixe industrializado imediatamente (reforçada na última frase do texto), o que seria uma generalização triste e prejudicial mesmo se realmente houvesse problemas com o peixe panga. E acontece, como veremos adiante, que não há nenhum problema com o tal peixe.

O peixe panga ou peixe-gato (Pangasius sp.) é realmente originário do Vietnã. Trata-se de um peixe semelhante ao bagre, já consumido há mais mil anos, sendo exportado para diversos países, incluindo EUA, Japão e União Europeia. No Brasil o controle e fiscalização dos pescados é responsabilidade do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que investigou a procedência do alimento numa missão sanitária realizada no Vietnã, em 2009, cujas inspeções e análises asseguraram sua conformidade com a legislação brasileira. Vale lembrar que não há, na mídia, nenhum caso confirmado de intoxicação alimentar relacionado ao consumo do peixe.

Acho bastante interessante que o autor tenha, supostamente, separado um pedaço do peixe no restaurante e feito uma superanálise (que cidade? qual restaurante? cadê o laudo com os resultados?), na qual foi descoberto que “era de água doce, proveniente de rios extremamente poluídos de excrementos, dejetos e toda sorte de poluição biológica, física e química devido, entre fatores diversos, à maciça ocupação de barcos que servem de vias e moradias que constituem aglomerados populacionais de pessoas carentes de serviços sanitários e salutares” Ufa, quanto detalhe, praticamente um CSI dos peixes! Pena que eu nunca vou saber o nome desse laboratório fantástico…

Mais adiante, o texto cita alguns compostos químicos de nome complicado para impressionar o leitor. Novamente, sem nenhuma fonte. Aliás, não existe uma Sociedade Americana de Engenheiros Agronômicos chamada ASAE (no máximo, temos a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica – entidade portuguesa). Falando em associações portuguesas, a DECO PROTESTE, essa sim, fez uma análise com cinco marcas vietnamitas de peixe panga e não foram encontrados metais pesados, resíduos de medicamentos nem bactéricas patogênicas em níveis inseguros para o consumo humano. A versão brasileira da PROTESTE também analisou o peixe comercializado em supermercados de SP e RJ em 2012 (marcas: Buona Pesca, Costa Sul e Leardini), e obteve o mesmo resultado – veja as fontes ao final do post.

Peixe Panga - produto importado à venda no supermercado!

Continuando com o texto, o autor afirma que o peixe panga não seria “nada natural”, devido à sua alimentação. É Interessante como os ingredientes citados são exatamente a formulação de qualquer ração para peixes onívoros. Aliás, “mandioca com resíduos de soja e grãos” podem ser utilizados também para formulações de rações de mamíferos e aves. E, se existe algo que o peixe come de fato em seu ambiente natural, são “restos de peixes mortos, ossos e solos secos”, já que é um peixe detritívoro (= necrófago) que seleciona, no fundo do rio, restos orgânicos como alimento.

Vou me segurar para não comentar a comparação infeliz (para não dizer grotesca) que o autor faz com a doença da vaca louca. Vamos pular para a parte dos hormônios. O fato é que, na aquicultura, praticamente todos os peixes criados em cativeiro são injetados com hormônios para melhorar principalmente seu crescimento e reprodução. Isso é feito de forma totalmente controlada segundo normas regulatórias, e não apresenta risco à saúde humana. Aliás, a prática é comum também na produção de aves e mamíferos para consumo. Não sou especialista no assunto, mas acho bastante difícil que seja aplicado um hormônio proveniente da urina de mulheres grávidas, devido às grandes diferenças metabólicas entre os dois animais (mesmo porque, em geral, são de origem sintética). Se as empresas chinesas que produzem o hormônio são “gigantes, sem escrúpulos e gananciosas” eu não vou saber informar (é fato que os direitos humanos não são sempre respeitados nas condições trabalhistas chinesas – mas daí teríamos que boicotar quase todo produto manufaturado que consumimos).

Para ser justo com o autor, é possível, sim, que ele tenha se deparado com porções de peixe panga estragado em um restaurante, mas isso pode ser devido a inúmeros fatores posteriores à exportação, como transporte e acondicionamento inadequados (seja no varejo ou no próprio restaurante), ou mesmo o modo de preparo e disposição. Já o sabor desagradável encontrado por alguns consumidores é uma questão sensorial, dependente do paladar de cada um.

Nos resta apenas perguntar o porquê dessa polêmica toda. Meu palpite é que seja proveniente da insatisfação de alguns produtores nacionais com a competição, os quais estariam tentando boicotar a importação do peixe vietnamita, já que o preço do peixe importado é, muitas vezes, menor que o do produto local. Seria uma forma de protecionismo através do sensacionalismo, da desinformação.

Fontes:

– Dados sobre o peixe panga: http://www.agrolink.com.br/culturas/milho/NoticiaDetalhe.aspx?codNoticia=108115

– Resumo das análises feitas no Brasil: http://www.bioqual.com.br/ver_noticia.php?id=321

– Análise portuguesa: http://www.deco.proteste.pt/alimentacao/seguranca-alimentar/testes-primeira-impressao/peixe-panga-sem-quimicos

– Sobre hormônios em peixes: http://www.bv.fapesp.br/namidia/noticia/6873/estudo-hormonio-auxilia-criacao-peixes/

– Sobre competição com o produto nacional: http://www.panoramadaaquicultura.com.br/paginas/revistas/115/PangaChegaBrasil.asp

Anúncios
10 Comentários
  1. EXCELENTE texto!!!!!!!!
    Além de desmistificar as informações falsas do e-mail, vc ainda tem um estilo DE PRIMEIRA para escrever, Menchikos!!!
    PARABÉNS!!! Adorei!

    • Obrigado Nati!

  2. Dilene Padovani permalink

    Eu estava correndo deste peixe, sempre me assegurando sobre o nome daquele peixe empanado, receosa de comer o tal do peixe panga. Agora com este relato, bastante plausivel e bem explicado por alguém que pesquisou, é curioso, nerd e engenheiro de alimentos, estou mais tranquila em relação ao panga. Obrigada Pedro, muito interessante sua exposição sobre o assunto. Meus parabéns!

  3. Lorenzo permalink

    Ola Pedro!
    Muito legal seu texto e a atitude de tentar desmistificar estas informaçoes e ajudar a trazer maior reflexão ao tema.
    Gostaria de fazer uma critica construtiva referente à sua fala ” Isso é feito de forma totalmente controlada segundo normas regulatórias, e não apresenta risco à saúde humana “.
    Ao afirmar que ‘não apresenta risco à saúde humana’ você acaba cometendo o mesmo equivoco que a maioria dos autores deste tipo de ‘e-mail / spam’ comete: assume uma posição unilateral e generaliza uma afirmação de dificil comprovação.
    Existem inúmeros estudos relacionando a utilização de hormônios na industria e seus possiveis impactos na saúde humana.
    Acredito na transmissao de conhecimento atraves do diálogo ( tal como sua atitude ao excrever este texto) e por isso achei interessante comentar a respeito.
    De qualquer forma parabéns pelo artigo e pela sua dedicação em compartilhar estas e outras informações.
    Abraços!

    • Pedro Menchik permalink

      Obrigado pelo seu feedback, Lorenzo.
      Bom, estou afirmando apenas que não existem estudos comprovando que o uso de hormônios na aquicultura, nos níveis aplicados, apresentem riscos à saúde humana. Se um dia houver uma validação da comunidade científica que prove o contrário, serei o primeiro a reavaliar a minha posição.
      Lembrando que o ônus da prova recai sempre sobre quem afirma a existência. Se existem inúmeros estudos sobre o assunto, gostaria de ver algumas fontes.

  4. Vinicius Miqueloti permalink

    Quem tentou boicotar a venda do panga, está se lascando, pois eu não conhecia este maravilhoso peixe, e a forma que conheci foi justamente através desta noticia falsa. Obviamente pesquisando mais desmistifiquei e conheci um dos peixes de melhor custo beneficio para o bolso de familias mais humildes e de classe média. Com um quilo variando de 10 a 11 reais, sabor e textura consistente, já limpo em files e pedaços sem espinha, o peixe é de um preparo super rápido! Segue receita que fiz com ele http://www.tudogostoso.com.br/receita/142181-panga-empanado-em-cubos.html DELICIA!

Trackbacks & Pingbacks

  1. Salmão com Corante | Alimentando a Discussão
  2. Salmão com Corante | Alimentando a Discussão
  3. Post Especial de Aniversário: Alimentando a Discussão completa um ano! | Alimentando a Discussão
  4. Frango com Hormônio | Alimentando a Discussão

Alimente a discussão:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Alimentando a Discussão

Desvendando polêmicas, mitos e boatos sobre alimentos

Mercado Engenharia

Estatísticas sobre o mercado de trabalho para engenheiros recém-formados no Brasil

deepinsidetanzania

Just another WordPress.com site

Blog da Zebruninha

Uma mocinha listradinha se aventurando pelo mundo!

Por uma vida sustentável...

Um projeto pessoal para a sustentabilidade.

Definetly Maybe

Desvendando polêmicas, mitos e boatos sobre alimentos

Tironessas

Desvendando polêmicas, mitos e boatos sobre alimentos

doux automne

foi poeta, sonhou e amou na vida

%d blogueiros gostam disto: